Alguma ideias da Comissão de Honra de Cavaco


E-mail this post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Excerto de uma entrevista ao jornal "O Diabo" (por sua vez retirada do blogue Super Mário). Vale a pena ler...um verdadeiro mimo Cavaquista!

Da Comissão de Honra de Cavaco: «No Estado Novo, a lei funcionava»

«Porque é que se ouve, com frequência, 'faz-nos falta um Salazar'?

Talvez porque nesse tempo não se gastava dinheiro loucamente e não se vivia com o luxo exagerado que muitos hoje aparentam ter. Havia mais seriedade na distribuição da riqueza nacional. Salazar foi um indivíduo notável da História de Portugal e teve, entre outros, o mérito de endireitar as contas públicas e de dar o exemplo de dignidade e modéstia. Era de uma humildade exemplar. Pagava do seu bolso o bilhete de comboio para ir para sua casa em Santa Comba Dão e o aluguer do forte de Santo António do Estoril onde passava as férias de Verão. Naquele tempo, os ministros tinham um chefe de gabinete e dos secretários. Não havia assessores. Hoje, há gabinetes ministeriais com 20 assessores, multiplicando por 20 ministérios totaliza 400 assessores, pagos à média de 1000 euros ou talvez mais. O dinheirinho é bom de gastar quando não é nosso...

O período do Estado Novo e a liderança de Salazar têm sido alvo de muitas críticas. Porquê?
As pessoas que não sabem História ainda pensam que o Estado Novo foi uma ditadura. Já tenho perguntado a juristas que digam se foi um governo de força ou de tipo proteccionista. A verdade é que foi um regime em que a lei funcionava e em que os próprios titulares dos cargos davam o exemplo da austeridade.»

Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, historiador, membro da Comissão de Honra de Cavaco Silva e, em 1995, mandatário para o distrito de Santarém da candidatura do mesmo em entrevista a «O Diabo».

Links to this post:

Criar uma hiperligação


1 Responses to "Alguma ideias da Comissão de Honra de Cavaco"

  1. Blogger WatchMan 

    Viva o pagode. Viva a festa. Nesta "Camioneta" há espaço para todos menos aqueles que perderam o emprego ou vão perdê-lo...

    É enternecedor ver como a Gestão de Comentários (Censura) está activada no blog "Pulo do Lobo"...

    Viva o Sr. Silva e a sua dinástica prole política de apoiantes...

Leave a Reply

      Convert to boldConvert to italicConvert to link

 


Quem somos?

    Fazemos parte de uma geração que nasceu politicamente com Cavaco Silva como Primeiro-Ministro. Organizámos e participámos em manifestações, vigílias e reuniões por um mundo que sabíamos não dever ser dominado por um gestor iluminado que com discursos de rigor escondia o desenhar da crise em que continuamos a viver. Porque temos memória, não esquecemos Cavaco, tal como não esquecemos os seus ministros. Não esquecemos as violentas cargas polícias sofridas, pelas escadarias da Assembleia da República e dentro das Universidades. Não esquecemos o spot da TSF que, da ponte 25 de Abril, lançava o grito para que "gajos ricos, gajos pobres"; se juntassem. Não esquecemos os políticos que Cavaco formou e que o continuaram; Durão Barroso, Santana Lopes, Valentim Loureiro, Isaltino Morais ou Alberto João Jardim. Não esquecemos em Cavaco, o contínuo desrespeito por tudo o que era cultura, arte ou memória. E também não esquecemos aquele dia em que Cavaco perdeu e que nos deixou reentrarmo-nos em torno das nossas vidas. Fomos desobedientes naquela altura e agora torna a ser necessário voltar a sê-lo!

    Ana
    Carlos Guedes [G.]
    Filipe Gil
    João Miguel Almeida
    João Paulo Saraiva
    Nuno Espadinha
    Tiago Mota Saraiva
    Z. N.

Centro de Estudos do Cavaquismo

    Quem faz uma procura na Internet sobre os anos em que este país viveu sob a égide de Cavaco, encontra muito pouca informação, quase nada. O Cavaco Fora de Belém é um blogue que pretende reavivar as memórias do que foi esse período negro da história de Portugal. Para tal propomo-nos recolher relatos, documentos, arquivos, imagens ou videos em formato digital, que nos permitam construir a história desse período e colocá-la online. Os vossos contributos, vindo directamente das caves e dos sotãos da história, podem ser enviados para este email: cavacoforabelem (@) gmail | com

Previous posts

Arquivos

Ligações

sindicância (RSS feed)