6 RAZÕES 6 para não votar cavaco


E-mail this post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Ontem um anonymous, ali em baixo, sugeriu que eu era leninista, o que me dá graça, e sugeriu que não teríamos 3 razões para não votar cavaco. Pois bem aqui deixo seis:

1- O cavaco é como o Iznogud que quer ser califa no lugar do califa. O cavaco em belém vai estar sempre a pensar que está em s. bento;

2- O cavaco é um amanuense, que como se viu de 85 a 95, sabe contar trocos mas não percebe nada de investimento;

3- O cavaco não vai respeitar a constituição, não a respeitou quando era PM e agora quer convencer-nos que será o garante da constituição;

4- O cavaco não é um democrata. É-o apenas no formalismo. Tentou não emitir opinião para não se comprometer e ter as mãos livres para fazer o que quer;

5- O cavaco é o homem da regisconta, nasceu no ano económico de 1939/40 e acha que a cultura se encontra no google;

6- O cavaco é misógino, serôdio, bafiento e de certeza que usa camisola interior e dobra o pijaminha.

Links to this post:

Criar uma hiperligação


2 Responses to "6 RAZÕES 6 para não votar cavaco"

  1. Blogger Arrebenta 

    Na recta final da Campanha Eleitoral desta 1ª Volta, Cavaco Silva responde ao Questionário de Proust

    Qual a sua ideia de felicidade perfeita?
    Um Governo, uma Maioria, um Presidente.

    Qual é a personagem histórica que mais admira?
    EU

    Qual a sua característica mais marcante?
    Vaidade e Arrogância.

    Qual a característica que mais deplora nos outros?
    Humildade e Compreensão.

    Qual sua característica mais deplorável?
    Não ter os músculos do Governador da Califórnia, para resolver isto como realmente queria...

    Qual a sua ocupação preferida?
    Fazer de sonso.

    Qual a qualidade que mais admira num homem?
    A ambição

    E numa mulher?
    Que se ponha ao serviço da ambição do homem dela.

    Quais os seus escritores favoritos?
    Não sei, porque raramente consulto a ficha editorial do “Financial Times”

    Qual é o seu lema?
    Uma mentira muitas vezes repetida começa a parecer uma verdade.

    Com qual figura histórica mais se identifica?
    EU

    Qual a sua maior extravagância?
    Fingir que não sou eu.

    Qual a sua viagem predilecta?
    Boliqueime-Lapa

    O que mais valoriza nos amigos?
    Que se ponham todos ao meu serviço, enquanto preciso deles, e que depois não reclamem, quando os afasto.

    Qual o seu herói preferido na ficção?
    Pinóquio.

    O que lamenta não ter feito?
    Não ter limpado a tempo o sebo a… Desculpe, não posso responder a isso, nesta fase da Campanha Eleitoral.

    Qual o maior amor da sua vida?
    Eu

    Onde e quando foi mais feliz?
    Lisboa, entre 1985 e o Dia do Levantamento da Ponte.

    Qual a sua maior realização?
    Ter conseguido tirar 3 cms. de alcatrão na camada de desgaste de todas as estradas deste país, e ter assim tornado algumas pessoas bem mais ricas e mais felizes.

    Mentir, às vezes, é necessário?
    Sempre.

    Se pudesse voltar à vida como outra pessoa, quem seria?
    Eventualmente, o Dr. Oliveira Salazar.

    Como gostaria de morrer?
    De aqui a 100 anos, como ele, na cadeirinha, mas sem saber que estava a morrer.

    Qual pergunta falta fazer?
    Vai mesmo haver sangue.

    E qual seria a resposta?
    Q.B.

  2. Anonymous Post 22J 

    Não venho para aqui chatear ou banalizar utilizando aquela, por exemplo, que o coração tem razões que a razão desconhece que creio ser de Pascal. Agora estas razões para o não voto em Cavaco Silva, desculpe-me a franqueza, são totalmente ocas e baças. Assim diga-me lá como é que sabe que “O cavaco em belém vai estar sempre a pensar que está em s. Bento? Foi o Professor Manbo que lhe forneceu essa dica? É dedicado à cartomante Maya? Prevê o futuro dos outros? O mesquinho do Iznogud? Bem podia ter escolhido outro exemplo o sorriso do Coringa para o Cavaco era, creio, mais eficaz. Ou terá sido influenciado pelo que se passa no Partido «Socialista» d general Tapioca versus Alcazar?
    «um amanuense, que como se viu de 85 a 95, sabe contar trocos mas não percebe nada de investimento»
    É verdade foram tocos que foram para aos bolsos de muitos administradores e gestores do centrão. Mias a vergonhosa cultura subsidio dependente.

    3- O cavaco não vai respeitar a constituição, não a respeitou quando era PM e agora quer convencer-nos que será o garante da constituição;

    4- O cavaco não é um democrata. É-o apenas no formalismo. Tentou não emitir opinião para não se comprometer e ter as mãos livres para fazer o que quer;
    Não. A CONSTITUIÇÃO impede que isso aconteça. Vale a pena ler. Há edição de bolso e está no Google.

    5- O cavaco é o homem da regisconta, nasceu no ano económico de 1939/40 (Ainda não havia a regisconta já que andam armados em historiadores será interessante no novo Blog Post 22-F analisar as causas do final da saudosa empresa) e acha que a cultura se encontra no google (quando há pouco para dizer lá vem a Cultura ou a falta dela à baila) Pois bem a Cultura também está no Google é claro. E essa
    O cavaco é misógino (Como infelizmente a classe política quase, quase na sua totalidade...), serôdio, bafiento (não fuma charutos) e de certeza que usa camisola interior e dobra o pijaminha . E se usar qual é o problema? Podia ter indicado a cor e a marca. E desculpe-me a do leninista . Não era minha intenção. Aliás o problema não é o Lenine que quase já ninguém lê. O problema é a existência ou inexistência de debate continuado. Não tem nada a ver com os silêncios dos candidatos. Tem a ver sim com o nosso reino cadaveroso. Com este nosso país de almas perdidas e sem norte junto ao mar. Com este não lugar anunciado. Não sei se o terramoto previsto para Lisboa será a 23 de fevereiro. Oxalá que não. Que fique mais umas décadas adiado. Certezas : O sol nascerá, a vidinha continua. Virá o carnaval e a quarta-feira de cinzas. E quando daqui a uns anos nos lembrarmos deste Janeiro de 2006 assumiremos que continuamos a navegar. Navegar, navegar afinal e apenas na Internet...
    Vamos com as aves?

Leave a Reply

      Convert to boldConvert to italicConvert to link

 


Quem somos?

    Fazemos parte de uma geração que nasceu politicamente com Cavaco Silva como Primeiro-Ministro. Organizámos e participámos em manifestações, vigílias e reuniões por um mundo que sabíamos não dever ser dominado por um gestor iluminado que com discursos de rigor escondia o desenhar da crise em que continuamos a viver. Porque temos memória, não esquecemos Cavaco, tal como não esquecemos os seus ministros. Não esquecemos as violentas cargas polícias sofridas, pelas escadarias da Assembleia da República e dentro das Universidades. Não esquecemos o spot da TSF que, da ponte 25 de Abril, lançava o grito para que "gajos ricos, gajos pobres"; se juntassem. Não esquecemos os políticos que Cavaco formou e que o continuaram; Durão Barroso, Santana Lopes, Valentim Loureiro, Isaltino Morais ou Alberto João Jardim. Não esquecemos em Cavaco, o contínuo desrespeito por tudo o que era cultura, arte ou memória. E também não esquecemos aquele dia em que Cavaco perdeu e que nos deixou reentrarmo-nos em torno das nossas vidas. Fomos desobedientes naquela altura e agora torna a ser necessário voltar a sê-lo!

    Ana
    Carlos Guedes [G.]
    Filipe Gil
    João Miguel Almeida
    João Paulo Saraiva
    Nuno Espadinha
    Tiago Mota Saraiva
    Z. N.

Centro de Estudos do Cavaquismo

    Quem faz uma procura na Internet sobre os anos em que este país viveu sob a égide de Cavaco, encontra muito pouca informação, quase nada. O Cavaco Fora de Belém é um blogue que pretende reavivar as memórias do que foi esse período negro da história de Portugal. Para tal propomo-nos recolher relatos, documentos, arquivos, imagens ou videos em formato digital, que nos permitam construir a história desse período e colocá-la online. Os vossos contributos, vindo directamente das caves e dos sotãos da história, podem ser enviados para este email: cavacoforabelem (@) gmail | com

Previous posts

Arquivos

Ligações

sindicância (RSS feed)